segunda-feira, junho 26, 2017

Dilema

Percalços da vida de aposentado: o que fazer quando o cachorro do apartamento ao lado passa o dia inteiro latindo e você não quer se indispor com vizinhos? Eu lembro do drama que foi para minha mãe ter que se desfazer de meu "irmão canino", então procuro ser compreensivo. Mas é uma situação bem chata e complicada.

quinta-feira, junho 22, 2017

Paulo Brody

Acabo de saber pelo Facebook da esposa dele, a atriz e diretora de teatro Jaqueline Pinzon, que faleceu meu grande amigo Paulo Brody. Paulo foi meu primeiro "amigo musical", por assim dizer. Tínhamos em comum também o gosto por aprender inglês e ler histórias em quadrinhos. Se quisesse, Paulo poderia ter sido tradutor (professor de inglês ele até foi) ou crítico de música. Conhecimento não lhe faltava e escrevia muito bem. Mas preferiu o teatro. Havia algum tempo que não nos falávamos, mas eu estava com saudade dele e queria muito conversar com ele sobre os acontecimentos recentes na política. Ele me conheceu quando eu era ainda alienado e isso criava um desnível no começo, pois eventualmente ele queria falar sobre assuntos que não me interessavam. Lembro, por exemplo, da indignação dele quando o Presidente Figueiredo criou o voto vinculado. Mas depois eu consegui "alcançá-lo" pelo menos um pouquinho. Nosso amigo comum Rogério Ratner o considerava "um gênio". Nunca vou esquecer a festa de aniversário que Paulo e sua esposa fizeram para mim num momento complicado da minha vida. Triste perda. Ele era mais jovem do que eu. A foto acima é de 2006.

P.S.: Cliquem aqui para ler todas as postagens em que eu já tinha citado o Paulo aqui no Blog.

segunda-feira, junho 19, 2017

Frio, etc.

Na semana retrasada, fiz a vacina contra a gripe. A enfermeira me avisou que em duas semanas eu estaria imunizado. Se nesse ínterim eu me gripasse, era só esperar passar o ciclo. Ela também me falou que, ao contrário do que eu pensava, não há problema nenhum em fazer a vacina estando gripado. Só não pode ter febre.

Ainda bem que ela me deu todos esses alertas. Na segunda-feira da semana passada, entusiasmado com o sol pós-frio, passei a tarde caminhando. À noite, tive um acesso de espirros. No dia seguinte, me resfriei. Queria tirar uma sesta, mas não podia, precisava terminar um trabalho. À tardinha, fui buscar meu filho planejando ir a um encontro de ex-colegas logo a seguir, mas não deu. Estava um bagaço. Voltei para casa e deitei direto. Mas fui melhorando aos poucos nos dias seguintes. Nesta semana o frio veio para valer. Nem com sol a temperatura subiu muito. Vejamos como será daqui para a frente.
-*-
Nesse fim de semana assisti a "Tudo e Todas as Coisas". Melhor do que eu esperava. Imagino que os cinéfilos sérios não o considerem um filme de grandes méritos. Mas eu, como apreciador leigo que adora finais felizes, gostei bastante.
-*-
Quero escrever aqui sobre a edição especial do Sgt. Pepper's, dos Beatles, mas vou ter que esperar. Nos próximos dias não vou ter tempo e, de qualquer maneira, primeiro gostaria de dar uma boa lida no livro de capa dura que está incluído no pacote.
-*-
Boa semana a todos!

quarta-feira, junho 14, 2017

A volta do "avô fresco"

Depois do susto que deu em todo o mundo, aí está meu sobrinho Rodrigo, já na casa da mãe dele (minha irmã), com o neto Lorenzo no colo. Graças a Deus!

Referência

Leiam a nota acima, publicada em Zero Hora do dia 8, na página "Contracapa", de Roger Lerina, e comparem com o que escrevi aqui, em 2010. Pelo que vi no Facebook, o Blog serviu de referência para o release do show, o que explica as semelhanças. Em se tratando de informações de domínio público, que o blogueiro apenas estruturou num texto resumido, não há necessidade de mencionar a fonte. Mas observem a coincidência de título, citação de músicas, explicações entre parênteses e da expressão "guitar hero".  

domingo, junho 11, 2017

Vitória!

Excelente notícia: meu sobrinho Rodrigo acabou de anunciar no Facebook que teve alta hospitalar. Deixou uma mensagem de agradecimento a todos, acrescentando: "me deram uma segunda chance e não vou pôr fora". Parabéns! Ele ficou um mês hospitalizado, em coma nas duas primeiras semanas. Tudo por causa de uma bactéria no pulmão. Mas está de volta para o mundo, para suas duas filhas, seu filho e seu neto. Bem vindo! Obrigado a todos os leitores do Blog que mandaram orações e boas vibrações.

sábado, junho 10, 2017

Adam West

Faleceu hoje, aos 88 anos, um de meus primeiros ídolos: Adam West, o Batman da TV. Já escrevi algumas vezes aqui no Blog sobre a série que ele estrelou em 1966 e 1967. Tenho um vasto material sobre o assunto em vídeo e livro.

Muitos consideram Adam West o "verdadeiro" Batman. Mas quem é entusiasta do personagem como um todo sabe que não foi bem assim. O Batman da TV foi uma das muitas encarnações do Homem Morcego. Marcante, sem dúvida. Divertida e apropriada para a cultura de sua época. Mas o herói resistiu bem ao tempo com outras posturas. Adam ficou decepcionado ao não ser escolhido para o filme de 1989, mas não tinha a menor chance. Não pela idade, mas porque o "seu" Batman nada tinha a ver com a figura hi-tech do final dos anos 80.

Uma fama parcialmente injusta que Adam West carrega até hoje foi de ter sido um Batman "gordo". Ele de fato ganhou alguns quilinhos a mais na segunda temporada. Mas o traje também não ajudava. Seu abdômen sob uma roupa colante, prensado pela fivela do cinto de utilidades, chamava a atenção em algumas tomadas. Mas no último episódio da terceira fase, como se quisesse desfazer a imagem negativa, ele aparecia sem camisa, para mostrar seu físico esbelto. Ele voltou a usar o uniforme em 1979 para o especial de TV "The Legend of The Superheroes" e continuava em forma.

Adam tentou outros papéis, mas o estigma do Batman o acompanhou por toda a vida. No fim, tratou de fazer do limão uma limonada. Escreveu uma autobiografia, lançou um DVD independente comentando os episódios da TV e, em 2014, colaborou com os extras do lançamento em DVD/Blu-ray da antológica série. Sem contar as inúmeras convenções de fãs de que participou. Obrigado, Adam West!

sexta-feira, junho 09, 2017

CD do "Seu José"

Neste fim de semana estarei com meu filho, então não poderei ir ao show de lançamento do primeiro CD de Zé Flávio, eterno "guitar hero" dos pampas, como já o descrevi uma vez. Mas isso não me impede de divulgar o evento. Será no sábado, dia 10, às 21 horas, no Espaço 373, no Distrito Criativo do Bairro Floresta, Rua Comendador Coruja 373. O valor é 40 reais. Participação especial dos ex-colegas de Almôndegas Kledir Ramil e Gilnei Silveira. Quem puder, vá! O nome do CD é Fingerprint. A foto acima eu tirei com ele em 2010, nos bastidores do Teatro do Sesi. Mas já nos conhecíamos. Vou contar uma historinha.

Em 2007, o jornalista gaúcho Lucio Haeser dava os retoques finais em seu livro "Continental, a Rádio Rebelde de Roberto Marinho". Como ele estava em Brasília, ajudei-o no que pude aqui em Porto Alegre. Fiz pesquisas no Museu de Comunicação e também fui em cartórios com autores das músicas que estariam no CD incluso, para que assinassem as respectivas autorizações. Um deles era Zé Flávio. Mesmo tendo tocado durante a madrugada anterior, ele compareceu ao cartório indicado, na Azenha, para se encontrar comigo. Ficamos conversando sobre o tempo dos Almôndegas enquanto aguardávamos a chamada. Quando finalmente chegou o momento, a atendente, de posse da carteira de identidade do músico, falou:

- O senhor assina aqui, Seu José.

Na hora, a vontade que me deu foi perguntar: você sabe com quem está falando? Este aqui é o Zé Flávio, uma lenda do rock gaúcho! Conhece "Canção da Meia Noite"? Foi ele que compôs! Ele fez parte de bandas históricas como Em Palpos de Aranha, Mantra e, a maior de todas, Almôndegas! Aquele "vai Zé" antes do solo de guitarra em "Deu Pra Ti", de Kleiton e Kledir, é pra ele!

Mas eu não disse nada. Para a funcionária do cartório, aquele ficou sendo apenas o senhor José Flávio Alberton de Oliveira. Mas nós sabemos quem ele é e tudo o que já fez. Não percam o show de lançamento do primeiro CD do "Seu José"!